Flex3 + Lcds + EJB3

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Recentemente terminei um curso de EJB3 (FJ-31) na Caelum. Curso muito bom, diga-se de passagem e tirei um peso de minhas costas: Aprender a usar efetivamente o tal do EJB.

A um tempo atraz eu tinha iniciado um blog somente para falar sobre tecnologia JEE e para me motivar a estudar o ejb (http://jeenoob.blogspot.com) mas acabei desistindo quando não consegui fazer o lookup e regigir corretamente os arquivos de deploy para o servidor Glassfish. No entanto agora, que aprendi como fazer o tal do EJB funcionar comecei a correr atraz de como usar ele nos meus projetos.

Hoje trabalho como arquiteto/gerente de produção em um projeto que usa as tecnologias Flex, Java e Microsoft SqlServer. Tirando o SQLServer a plataforma é bem produtiva e o Flex3 vem superando minhas expectativas no que diz respeito a produtividade.

Devido a alguns objetivos do lider do projeto, estou prevendo que vamos precisar se esforçar mais em relação a "robustes" da aplicação. Procurei então como mesclar o Flex, o Java e o EJB que poderia ser uma solução para um problema futuro.

Encontrei referências para o blog do Raynnorris ( http://www.ryannorris.com/ ) que desenvolveu uma Factory para o Lcds que consegue instanciar e fornecer EJBs de forma transparente para os aplicativos Flex. Achei a idéia fabulosa e fui testar.

O post do Raynnorris que explica como usar a biblioteca que ele criou é o seguinte: http://www.ryannorris.com/2007/05/18/using-flex-data-services-with-ejb3/

O post é bastante claro em relação a como configurar o LCDs para usar a Factory que ele criou, e explica muito bem como editar os XMLs do flex.

Simples, pratico e rápido.

No meu caso especifico tive que fazer algumas alterações nos fontes do Ray para que a Factory encontrasse meu servidor de aplicação.

Explico o que fiz para usar a biblioteca dele no post:
Configurando projeto Flex num Tomcat para acessar EJB3 no JBoss


Agora resta a dúvida... como será que o LCDs se comporta com uma grande quantidade de requisições??

O próximo passo vai ser fazer um "stress test" no meu aplicativo... simular as requisições e ver se o LCDs não vai gerar gargalo.

De nada adianta ter uma servidor robusto e uma arquitetura extremamente boa no servidor de aplicação se o servidor web não der conta do recado.

Um outro teste que estou agendando é fazer o LCDs rodar no próprio JBoss (hoje ele roda em um Tomcat 6.0).

Vamos ver no que dá!

1 comments:

Mario Martins disse...

Giuliano,

Você chegou a executar um stress test nessa implementação?

Eu estou com um projeto que se baseia na mesma arquitetura.

Att,
Mario